quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Diário de San Francisco (VIII) - Trabalhando um pouco



Como hoje foi dia de muito trabalho, vou tentar explicar um pouco como é trabalhar por aqui.
Como quase todo mundo deve saber, os caras aqui estão passando por uma crise financeira, que tem servido como desculpa para várias empresas demitirem funcionários.
Entretanto, na área de informática, várias vagas estão sendo abertas também, o que não traz muitos problemas na nossa área.

Quanto ao trabalho, estamos desenvolvendo um projeto em parceria com uma empresa daqui de San Francisco. Estou aqui para facilitar as comunicação entre a empresa deles e a minha.
Sobre o idioma, no meu caso, não é problema. A maior dificuldade para mim é para falar, pois ouvir para mim é muito tranquilo.

O problema principal em um projeto sendo desenvolvido desta maneira é o fuso horário. San Francisco está há 6 horas do Brasil, ou seja, quando são 15h no Brasil, aqui são 9h. Ou seja, quando estou começando a trabalhar, já se passou 1 turno inteiro no Brasil e já está quase terminando o segundo. Isto vai melhorar a partir de sábado (quando termina o horário de verão), mas não ajuda muito.

Neste caso, o que tenho de fazer é basicamente tentar enviar todas as solicitações para o Brasil durante a tarde daqui para que, quando o pessoal do Brasil chegar no outro dia pela manhã, eles possam realizar minhas solicitações para que eu possa passar para o pessoal aqui durante a tarde do Brasil.
É muito difícil de gerenciar este negócio mas, se cada um fizer a sua parte, podemos até tirar vantagem disto porque, ao invés de trabalhar apenas 8 horas por dia, podemos trabalhar 11 horas. É só trabalhar direito que o projeto sai.

Agora, um fato interessante é como a empresa que contratamos aqui trabalha. Eles são altamente metódicos, com um bom gerenciamento do projeto e vêm para a empresa realmente para trabalhar. Eles trabalham muito, realizam as tarefas praticamente em dia e ficam muito decepcionados quando não conseguem cumprir uma tarefa.
É legal porque quando se vêm para cá se tem um outro clima de trabalho. Os caras praticamente estão mergulhados no projeto e tentam fazer o máximo para entregar tudo o que foi solicitado.

Agora, sem não tiver um suporte do time que está no Brasil, nada disto adianta. Por isto todos os pontos de um projeto tem de estar bem alinhados para que não haja nenhum problema de comunicação durante todo o andamento.
Postar um comentário