sexta-feira, 28 de março de 2008

O Preço de um Filho



Hoje recebi uma mensagem interessante, sobre o quanto custa um filho. Muito interessante para quem está esperando ou pensando em ter filhos:

O Preço de um Filho

Uma ONG calculou recentemente o custo para se criar um filho, do nascimento aos 18 anos, e chegou a R$ 160.140,00 para uma família de classe média.
O valor é chocante! E esse valor não cobra a formação escolar.

Mas R$ 160.140,00 não é tão ruim assim se você parcelar. Ele se traduz em:
  • R$ 8.896,66 por ano;
  • R$ 741,36 por mês;
  • R$ 171,08 por semana e
  • meros R$ 24,24 por dia.
Ou seja, cerca de um real por hora.

Mas o que você ganha gastando R$ 160.140,00?
  • Direito a dar o nome
  • Olhares de Deus todos os dias
  • Risadinhas debaixo das cobertas todas as noiter
  • Mais amor do que seu coração pode suportar
  • Beijos jogados no ar e abraços carinhosos
  • Infinitas admirações por pedras, formigas, nuvens, biscoitos, cachorros, gatos, etc.
  • Uma mão para segurar, normalmente cheia de geléia e de chocolate
  • Um parceiro para fazer bolhas de sabão, soltar pipas
  • Alguém para fazer você rir como bobo, não importa o que seu chefe tenha dito ou como as bolsas de valores se comportaram nesse dia
Por R$ 160.140,00 você não precisará crescer nunca. Você deve:
  • Ter os dedos sujos de tinta
  • Modelar objetos
  • Brincar de esconde-esconde
  • Ouvir música da Xuxa
  • Nunca deixar de acreditar em Papai Noel
Você terá desculpa para:
  • Continuar a ler as aventuras do Ursinho Puff
  • Assistir desenhos animados aos sábados pela manhã
  • Assistir filmes da Disney
  • Fazer pedidos às estrelas
  • Você recebe molduras de arco-iris, de corações ou flores sob imãs de geladeira, conjunto de mãos impressas em argila para o Dia das Mães, e cartões com letras viradas para o Dia dos Pais
Por R$ 160.140,00 não há outro jeito mais fácil de ficar famoso. Você é um herói apenas por:
  • Recuperar uma pipa no telhado da garagem
  • Retirar as rodinhas da bicicleta
  • Remover uma farpa do pé
  • Encher uma piscina de plástico
  • Fazer bola de chiclete sem estourar
  • Ir a parques de diversões e voltar exausto
Você tem lugar na primeira-fila da História como testemunha:
  • Dos primeiros passos
  • Das primeiras palavras
  • Do primeiro sutiã
  • Do primeiro namoro
  • Da primeira vez atrás do volante de um carro
Você fica imortal. Você tem um novo braço na sua árvore genealógica e, se tiver sorte, uma longa lista de membros no seu obituário, chamados netos e bisnetos.
Você recebe formação em psicologia, enfermagem, justiça criminal, comunicação e sexualidade humana que nenhuma faculdade pode lhe dar. Aos olhos de uma criança, você localiza-se logo abaixo de Deus.

Por R$ 160.140,00 você tem poder para:
  • Curar um choro
  • Espantar os monstros que estão debaixo da cama
  • Remendar um coração partido
  • Policiar uma festa sonolenta
  • Cultivá-los sempre e amá-los sem limites
E assim, algum dia eles, como você, amarão sem medir os custos.
É um excelente negócio por este preço.

Ame e curta seus filhos, netos e bisnetos. É o melhor investimento que você fará na vida.

Por R$ 160.140,00 você poderia:
  • Comprar um carro de luxo
  • Comprar uma linda casa
  • Comprar um lindo iate
Mas nada se equivale ao preço de um filho.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Sobre Lemmings e Trabalho



Sou um fã confesso do jogo Lemmings, um jogo onde necessitamos levar os personagens que caem de um alçapão até um portal. Para que eles cheguem ao portal, podemos dar-lhes tarefas (como cavar, construir plataformas, etc). Este jogo foi lançado em 1989 e hoje existe até uma versão feita em DHTML que pode ser jogada online aqui.
Existe uma singela relação entre este jogo e personagens que encontramos no nosso ambiente de trabalho. Abaixo listo a relação entre os Lemmings e um ambiente de trabalho:
  • Escalador: como aquele funcionário que quer subir na empresa, até mesmo a qualquer custo. Basta encontrar um lugar por onde possa escalar que já está indo.
  • Para-quedista: Entra nos assuntos de repente, mesmo sem saber onde pode estar se metendo.
  • Lemming-bomba: Basta encontrar uma dificuldade que acaba explodindo.
  • Lemming-barreira: Não deixa os outros Lemmings seguirem adiante. Acabam atrapalhando o trabalho dos outros.
  • Construtor de passarela: Se esforça para fazer com que os outros Lemmings consigam seguir adiante, baseados no trabalho anterior dele.
  • Escavador horizontal: Procura tirar as dificuldades da frente da equipe
  • Escavador vertical: Abre buracos para que, ou os Lemmings fiquem presos até que ele termine, ou acabem caindo.
  • Lemming da picareta: Usa todo o seu instrumento de trabalho para que os demais possam seguir o seu objetivo.
  • Jogador: o jogador é como o chefe, é ele quem comanda e diz o que cada Lemming deve fazer. Caso o jogador não peça para o Lemming fazer a coisa certa, no tempo certo, é ele quem perde o jogo. Ele pode fazer todo mundo parar, todo mundo andar mais rápido ou até mesmo, fazer todos os Lemmings explodirem.
O detalhe é que, a menos que todos os Lemmings saibam o que estão fazendo e, principalmente, o motivo pelo qual eles estão fazendo, o objetivo final do jogo não será alcançado.

sexta-feira, 14 de março de 2008

O que é a Web 3.0



Meu amigo Rodrigo Roesler tem uma visão bem real sobre o que é Web 3.0.
Hoje ele me explicou qual é a sua idéia sobre este assunto. Achei ela bem plausível e fiz um modelo do que seria a Web 3.0, de acordo com ele.
Abaixo o link de uma página Web 3.0, de acordo com a idéia dele:
http://www.nois.com.br/web30

terça-feira, 11 de março de 2008

Renovação de Equipes



Voltando à temas relacionados a trabalho, resolvi escrever um pouco sobre o que eu acho que deve ser feito quando uma equipe começa a se renovar.
Vários fatores são causas da renovação de uma equipe. Para fixar um escopo inicial, cito os três abaixo:
  • Demissão de funcionários por parte do gestor imediato
  • Pedidos de demissão de funcionários
  • Promoções de funcionários ou troca de equipe
Devido a estes fatores, há a necessidade de colocar novos funcionários dentro da equipe. Estes funcionários devem ou ser buscados do mercado (caso de novas contratações) ou dentro da própria empresa (caso de realocação interna).
Entretanto, toda substituição possui efeitos colaterais que devem ser resolvidos o mais breve possível, sob o risco do gestor ver a sua equipe desmotivada ou, pior ainda, "pedindo prá sair" (chama o Bope).
Aí fica a dúvida: como podemos fazer para resolver estes problemas de uma maneira rápida? Com certeza, não há uma resposta pronta para isto, mas algumas medidas podem ser tomadas com os novos (e até com os antigos) funcionários para que a fase de transição dos membros de uma equipe possa ser menos traumática. Seguem algumas idéias:
  • Tenha em mente em que função você vai colocar o novo funcionário - Caso não saiba o que o novo funcionário vai fazer, possivelmente a necessidade de contratação não existe. A simples contratação para preencher um cargo vago anteriormente é um grave erro, pois funcionário parado é um custo alto para a empresa.
  • Dê um desafio - Proporcione ao novo funcionário um desafio de acordo com a função.
    A falta de desafios profissionais é uma das maiores causas dos pedidos de demissão.
  • Contrate um funcionário que tenha perfil para a vaga disponível - De nada adianta contratar um encanador para instalar um telefone. Contrate pessoas com o perfil que você quer para a função.
  • Motive os funcionários antigos - Quando a saída de pessoas antigas da equipe é grande, os funcionários antigos que ficaram na equipe precisam ser novamente motivados. Isto tem de acontecer porque podem começar a pensar coisas como: "Tá todo mundo saindo, o que eu vou fazer por aqui?"
  • Integre os novos com os antigos - Faça com que os antigos funcionários saibam do que os novos são capazes de fazer pela equipe. Além disso, mostre para os novos quem são as pessoas que eles podem conversar em caso de dúvidas.
  • Mescle os conhecimentos - Não deixe em um projeto apenas funcionários novos, pois pode acontecer de que os problemas e os erros que já foram corrigidos anteriormente se tornem recorrentes. Funcionários antigos tem experiência no funcionamento da empresa e em diversos problemas que ocorreram anteriormente.

terça-feira, 4 de março de 2008

Sobre o tempo



Este ano completarei 9 anos na empresa onde trabalho.
A partir daí, faço um cálculo onde presumo:
  • que durmo 8 horas por dia (o que dificilmente é verdade);
  • que fico 11 horas por dia na empresa;
  • que as demais horas são para atividades diversas (incluindo estudos, tempo com a família, jogos do Grêmio, etc.)
  • que tirei 20 dias de férias por ano
  • que em 104 dias por ano não trabalho (fins-de-semana e feriados)
Logo, em porcentagem do tempo nestes 9 anos, teria:
  • 32% trabalhando
  • 34% dormindo
  • 34% para outras atividades
Arredondando, 1/3 para cada uma das atividades.

Nada como um post altamente deprimente para uma terça-feira!