domingo, 8 de fevereiro de 2009

Diário de San Francisco (IV) - Passeios diversos no sábado



Outlet

Hoje foi dia de compras. Passamos o dia todo no Gilroy Premium Outlets.
Para quem não conhece, Outlets são locais onde podemos comprar artigos por um preço mais acessível que nas lojas tradicionais. Diversas marcas famosas possuem um ponto em um destes Outlets e os preços são realmente muito mais baratos.
O detalhe é que este Outlet onde fomos é enorme. São quatro quadras gigantescas com mais de 140 lojas. Para terem uma idéia, ficamos 5h lá e só conseguimos visitar 2 quadras.
O que eu comprei:
  • Camiseta da Puma
  • Duas camisetas e uma calça da Levi's
  • Um conjunto de abrigo, dois abrigos infantis, um tênis para mim e um tênis para cada um dos filhotes na loja da Nike.
Na real, ainda foi pouca coisa comparado com as compras do belga e do argentino.

Gilroy é o nome de uma cidade aqui da região. Fica cerca de 100 Km aqui de San Francisco. Pelo caminho, passamos pelo Vale do Silício (ponto turístico para qualquer nerd) onde pudemos ver sedes de empresas como Oracle, Cisco, EBay, Microsoft, parque da Nasa, entre outras.

Dirigindo nos Estados Unidos

Outra coisa que fiz hoje foi dirigir um carro nos Estados Unidos. Nada diferente do que dirigir um carro em qualquer outro lugar. O único problema é que, para saber dirigir aqui, necessito de um bom GPS (obrigado Merlo). O interessante é "o carro" que dirigi: um Dodge Charger preto com transmissão automática. Nunca tinha dirigido um carro tão grande e, principalmente, automático. Demora uns 10 Km para se acostumar, mas depois vai na tranquilidade.

Ano Novo Chinês

À noite, teve a comemoração do Ano Novo Chinês aqui em San Francisco. Para quem não sabe, San Francisco possui a maior colônia chinesa fora da China. Assim, houve uma parada para a comemoração.
Claro que, após a parada, fomos para um restaurante chinês onde, finalmente, aprendi como comer com os Hashis (foto abaixo). O único problema do resteurante é que ele era "mono-tarefa", ou seja, chegou primeiro o prato do belga, depois de 5 min o meu, depois de 30 min o do argentino.
Ou seja, a tradicional "paciência" chinesa!

Postar um comentário