segunda-feira, 30 de junho de 2008

Sobre Wall-E





Sou um grande fã dos filmes da Pixar (e de animações em geral). Aliás, o bom de ter filhos é que podemos ver desenhos e ter uma desculpa para isto ("só vejo por causa das crianças").
Wall-E entra no meu conceito como um dos melhores filmes da Pixar (junto com Toy Story, Procurando Nemo e Os Incríveis). A história é excelente, a animação é muito boa (conseguiram melhorar muito o trabalho com partículas, principalmente fumaça) e a mensagem do filme está de acordo com o que podemos esperar das novas gerações em relação ao meio-ambiente.
O fime conta a história do robô Wall-E, deixado na Terra para tentar limpar o planeta após anos e anos de acúmulo de lixo pelos seres humanos. Estes tinham abandonado o planeta para viver no espaço, dentro de naves espaciais gigantescas.
Enquanto Wall-E limpa o planeta (tendo como companhia apenas uma barata), ele acumula objetos curiosos deixados pelos humanos, tentando adivinhar para que eles serviam.
Tudo muda quando, em um dia de trabalho, ele recebe a visita de uma robô (chamada de Eva), que veio para dar uma olhada em como o planeta estava. A partir daí, Wall-E se apaixona por Eva e o filme começa a acontecer.
Primeiramente achei que Wall-E seria um filme mudo e que não agradaria muito as crianças. Na real, o filme fica uma meia-hora em quase absoluto silêncio, exceto pela voz metalizada de Wall-E, mas com tiradas bem engraçadas.
Entretanto, o resto do filme possui ação e aventura, onde podemos nos divertir e nos emocionar com a história contada.
De novo, mais um ponto positivo para a Pixar, que mesmo com o acordo com a Disney ainda consegue ser a maior produtora de filmes de animação.

Ficha técnica:
Direção: Andrew Stanton Gênero: Animação Distribuidora: Disney Sinopse: Em um futuro pós-apocalíptico, os humanos destruiram a terra e não existem mais. Os protagonistas são os Wall-E, robôs desenhados para limpar o lixo deixado na superfície da Terra. Essas máquinas, no entanto, não deram conta da tarefa e começaram a pifar lentamente, até que apenas um robô restou. É ele o protagonista, Wall-E. O nome é na verdade a sigla para Waste Allocation Load Lifters - Earth ("Levantadores de Cargas Desnecessárias da Terra"). Todos os dias, ele executa sua rotina de catar o lixo que encontra pela frente a fim de cumprir a (impossível) tarefa de juntar todo o lixo que existe no planeta. A única ajuda que ele recebe é a de Spot, sua barata de estimação.
Postar um comentário